terça-feira, 16 de agosto de 2011

Meu nome é "Crash"

Crise na Europa. É sério a gravidade do momento que o mundo vive.
A razão é a derrocada da proposta política da social-democracia.

O Estado de São Paulo publicou recentemente um editorial no qual aponta a fragilidade dos países europeus. 24 bancos estão em situação crítica e 8 deles não passaram nos testes de estresse.

O editorialista apontou que há uma causação bilateral da crise entre tesouro-bancos-tesouro: quem quebrar primeiro leva o outro a quebrar também.

Ou seja a periculosidade do momento em que se vive, raramente na historia viu-se uma conjunção de fatores e crise tão grave.

Se não houver uma solução, um calote pode ocorrer em Agosto e essa expressão calote esconde uma gravidade imensa, porque o calote significa simplesmente que o processo de trocas entre países pode cessar por algum tempo e isso pode levar a economia mundial a um colapso, afinal nós estamos falando do bloco europeu que é um dos principais blocos de prosperidade mundial, fatalmente afetará a Alemanha, França, sem falar nos países de fragilidade financeira maior.

Eu sou muito pessimista nesse momento porque eu vejo que a raiz de todo esse processo é de natureza política.

Ao emergir da segunda Guerra Mundial nós tivemos uma crescente sensação de que a solução para a humanidade foi encontrada na fórmula social democrata que na expressão econômica tem a construção teórica do keynesianismo que basicamente é a proposta de se expandir a moeda ate o limite da Loucura, como se a expansão da moeda servisse para alguma coisa.

E aqui estamos nós , no limiar do segundo semestre de 2011, com uma economia mundial em desordem, um sistema monetário global cada vez mais instável e os mercados financeiros desesperados e este apesar dos milhares de bilhões de dinheiro público investido justamente para evitar essa situação.

“O mercado se tornou viciado em constantes estímulos e, como um viciado, quer mais e mais”.

Os Governos agem como se pudesse dar tudo a todos sem que se trabalhe, um sistema de aposentadorias loucos que aposentam pessoas precocemente pagam salários irrealistas para os quais não houve recolhimento prévio algum, o Brasil é um caso típico.

O modelo keynesiano tem tentado burlar a lei da escassez, e a lei da escassez nada mais é aquela coisa que esta no Genesis da Bíblia: “Homem comerás o pão com o suor do teu rosto”. Essa geração que veio desde da 2 Guerra mundial achou que podia fazer letra morta do preceito bíblico e o fato é que não podem.

A lei da escassez é uma lei de origem Divina, o Homem tem que trabalhar! é preciso trabalhar. Estamos num cenário parecido com o da Crise de 29 onde depois vieram aqueles anos dantescos que culminaram na 2 Guerra mundial. O que nós podemos esperar hoje ? não tenho a menor idéia, mas vivemos tempos de grandes perigos e eles são enormes.

Abraços
Postar um comentário