terça-feira, 18 de outubro de 2011

Três meia zero

Analisando criticamente a economia Brasileira, hoje ela tem mais acertos do que erros porque curiosamente agente tem um modelo que o Mundo esta tendo inveja que é o conceito Público Privado.

O fato de termos o BNDES, um banco de desenvolvimento, esse banco os americanos invejam hoje, gostariam eles de ter um banco desse.

O BNDES é uma instituição extraordinária, não só por uma equipe de técnicos que estão lá há anos e foram treinados a financiar bons projetos de infra-estrutura de produção, enfim, então é um órgão que pra quem não sabe é três vezes maior que o banco mundial, é um negócio que você tem que tirar o chapéu, é um ativo do Brasil excepcional.

Temos Grandes empresas brasileiras que são estatais tipo Petrobras que se não fosse ela o nosso petróleo off-shore não teria saído, porque o empresário brasileiro não corre risco não é mesmo ? São poucos.
Por exemplo, criar riqueza na área de recursos minerais você tem que furar pra descubrir o que tem seja em mineração seja em Petróleo, um furo de petróleo off-shore custa quarenta milhões de dólares e pra entrar nesse jogo você tem que ter um bilhão de dólares se não, é bom nem brincar nesse jogo, mas o que eu quero falar antes é que o Brasil que foi criado com essas empresa estatais se não fossem elas nós não estaríamos onde estamos.
Porque elas não só arriscaram para achar o Petróleo off-shore como no caso da Petrobras, mas também formaram talentos extraordinários, um celeiro de MO qualificado.

Na verdade se você pensar bem o que aconteceu lá fora nos EUA, foi uma falta de supervisão total do Estado, O FED não controlou os bancos de uma maneira como o banco central faz no Brasil.

Quando no Brasil você vai empreender, por exemplo, a construção de uma mina em uma área inexplorada, você não tem acesso por caminhão, você tem que fazer uma ponte aérea, todo equipamento entra de avião, então, Logística, doenças, problemas técnicos, você tem que construir seus próprios alojamentos, você tem que gerar sua própria energia, produzir sua água, você volta pro conceito 360 graus, porque você esta sozinho, você esta numa área de fronteira, você esta fazendo um negócio do que o que vai pagar conta é se você vai conseguir tirar o ouro daquela mina, mas tudo em volta é você quem faz, não tem a Companhia de saneamento pra te fornecer água, não tem a Light ou Escelsa pra te dar luz, então você tem que fazer tudo sozinho.

Isso tudo te leva a pensar de uma maneira toda independente. Logística por exemplo, dessa experiência você começa a pensar a logística do Brasil, os pontos fracos da logística no Brasil são portos que tenham uma retro-área grande , revitalização de portos não resolvem o problema porque as cidades engalfinharam os portos.

Então você não consegue chegar com um navio grande moderno que precisa ser carregado e descarregado rápido, você não tem mais os espaços, se fosse na China você desalojava 50 mil pessoas e você iria construir lá, no Brasil não se faz isso, então você tem que ir pra áreas novas, remotas , como por exemplo o Superporto do Açu do Eike Batista e toda sua modernidade.

A questão da Logística no Brasil é mal enfrentada, sempre foi tapar buraco em estrada.

Abraços
Postar um comentário