terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Toques de Recolher na Grande Vitória: Uma análise instigante da Frágil Gestão da Segurança Pública do Governo do ES.

Gostaria de compartilhar uma história.

Na chuvosa tarde de domingo do dia 09 de Maio de 2010 os moradores de São Torquato, Vila Velha, vivenciaram mais uma manifestação de terror por parte dos traficantes do bairro. Após a morte de um membro do tráfico em uma comunidade vizinha, seus parceiros decidem, como uma forma de expressão de seu luto, “fechar e parar” literalmente o bairro após ser expressa a “ordem” de mais um toque de recolher.

Subitamente em questões de minutos algo incrível e assustador se manifestava no local, comerciantes, ambulantes, lanchonetes, pizzarias, farmácias, todos fechavam suas portas e partiam correndo pra suas casas após receberem o aviso dos traficantes: “Quem ficar com as portas abertas será punido”!

Somente as Igrejas puderam ficar abertas. Horas depois o bairro parecia uma cidade fantasma, deserto, silencioso, escuro, apenas o terror a chuva fria e o vento gelado corajosamente permaneciam nas ruas de São Torquato. Eu me lembro de ter visto cenas como aquela somente em filmes.

Diante disso eu automaticamente fiquei muito triste, e pude perceber que vivo uma ilusão, em um país onde o poder emana do povo que o exerce por meio de seus representantes eu vi que decididamente não tenho poder e não era povo, eu pude notar que os representantes que escolhi também não eram capazes de exercer esse poder de forma eficaz e prática.

O ocorrido em São Torquato é apenas um exemplo do que acontece em bairros da Grande Vitória no quesito Segurança Pública.

Erradicar a Marginalização é objetivo fundamental da República Federativa do Brasil, toques de recolher são reflexos da má Gestão da Segurança Pública do Estado e não apenas expressões de luto de bandidos.

O Governo do Estado do Espírito Santo através de sua Secretaria de Segurança Pública e do Comando da Polícia Militar perdeu há muito tempo a Coragem e disposição de combater a marginalização. Tampouco o panorama de Segurança Pública do ES escapa à agudez do seu olhar. Na expressão talvez mais vigorosa de sua gestão, ele exerce as várias “teorias de administração do sistema”, que acaba não sendo suficiente para combater o crime.

Impressiona-me essa frágil Gestão, estamos inseguros, essa é a verdade que extraímos do ocorrido no dia 09, e se você ainda não visualiza essa realidade descabele-se, manifeste-se, vamos recuperar nosso poder, estamos entregues ao crime, a Polícia Militar nada pode fazer, ela esta numa guerra de trezentos contra três mil, seu contigente é pequeno, fraco, falho, e como nas passagens bíblicas de desvantagens numéricas... Só Deus poderá nos ajudar.

Abraços
Postar um comentário