quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Criminalidade e Capitalismo

Vamos verificar a criminalidade como algo Inerente ao capitalismo.

A criminalidade não é uma patologia, e sim uma Fisiologia do sistema capitalista. 
Ou seja, é do próprio funcionamento deste sistema que haverá exclusão e marginalização.

Num sistema capitalista, mede-se a dignidade de cada um de acordo com sua capacidade de produzir (tendo um emprego) e de acordo com a sua capacidade de consumir. Quem não produz e não consome é um cidadão "falho", não atende às expectativas do capital.

Invariavelmente, quem comete crimes são pessoas jovens (menores de 30 anos), de cor negra ou parda, sem pai reconhecido e primeiro grau incompleto. Pessoas perdidas de tudo na vida.

Se a maioria das pessoas presas cometeram crimes patrimoniais, significa que são pessoas desprovidas de patrimônio. 

A grande maioria dos enclausuramentos se dá por prática de roubos e de tráfico de drogas. Ou seja, não se consegue um emprego formal pela baixa escolaridade (afinal, viver em condições adversas faz com que as pessoas abandonem a escola), acaba-se buscando aquilo que é referência na realidade deles, no tráfico de drogas. E a dificuldade no acesso a bens de consumo conduz à prática de crimes patrimoniais. 

Um documentário que demonstra muito bem isso se chama "Falcão: meninos do tráfico".

A criminalidade não é algo inato ao "criminoso". Na verdade, trata-se de um atributo conferido às pessoas alvo deste sistema, que exclui e marginaliza quem não consome e quem não produz. 

Crime não é o que o criminoso faz. Crime são condutas legalmente tipificadas, que, sendo praticadas, implicam em uma sanção. Você comete crimes também, a diferença é que os seus crimes são tolerados. 

Toda classe social pratica seus crimes, assim os crimes da elite são menos perseguidos do que os crimes praticados por pessoas mais pobres.

Ter sido vítima de um crime demonstra que SIM, a criminalidade é reflexo da IMENSA DESIGUALDADE SOCIAL, e se resolve promovendo distribuição de renda e igualdade de oportunidades.

Abraço.
Postar um comentário