segunda-feira, 22 de maio de 2017

Panorama brasilis

     Diante da atual crise institucional brasileira é preciso unir o País, e essa união jamais vai, na conjuntura de nossa existência, se unir novamente nos próximos vinte ou trinta anos.

     Recentemente vimos o congresso nacional criar uma emenda que proíbe a expansão dos gastos com saúde, com educação, com previdência social nos próximos vinte anos, e isso sem consultar ninguém, e o país vai começar a sofrer com essas medidas daqui um ou dois anos. 

      É uma regra que protege toda dinheirama que vai para os bancos, que vai para as dez famílias mais ricas do país, que é a plutocracia, o baronato brasileiro, e deixa constrangido todas as outras despesas que é o conjunto das despesas da população.

      A crise possui explicações mais complexas do que simplesmente as mazelas realizadas pelo PT, o nosso padrão de felicidade está relacionado equivocadamente à um padrão de consumo, o Brasil possui hoje um padrão de consumo do qual nós não somos capazes de produzi-lo, e nós vínhamos pagando esse negócio vendendo matéria prima barata, que é minério de ferro, que é petróleo bruto, que é soja que é milho, que têm um pouco mais de valor porque é comida, mais de qualquer forma é barato, mais caros são os novos materiais derivados da soja. 
      
      Quando o Lula tomou posse por exemplo, nós vendíamos uma tonelada de minério de ferro por $ 190.00 dólares, depois chegamos a vender por $ 38.00. O petróleo quando fizemos a lei do pré-sal era $ 120 dólares o barril, depois chegamos a vender por $ 30.00. Então quando caíram os preços das comodities por uma questão internacional na crise de 2008, na época a China retraiu grandemente seu crescimento e teve uma fratura exposta, ao invés de tomarmos medidas impopulares o governo partiu para a marquetagem...para a mentira.

      No dia que fizeram essa emenda, eles deram um super aumento pro judiciário, pro ministério público, enfim mas não pode se fazer isso sacrificando o  mais pobre e aumentando pro mais rico. O sacrifício têm que ser proporcional e equitativamente para todos. Isso é o que o Temer está fazendo, dando para os grandes e tirando dos pequenos.

Abraços.
Postar um comentário